Consumismo: vontade ou necessidade

Consumismo, palavra de ordem nos dias de hoje, principalmente nos jovens.. Consumir de uma forma incontrolável e sem consciência. No entanto, um excesso do mesmo traz consequências: créditos e endividamentos.

A vontade de comprar é enorme, a vontade de adquirir está intrinsecamente relacionada com a emoção e não com a razão.

Apesar de muitas pessoas pensarem que o consumismo é algo que se prende com a vontade somente de comprar, na verdade é mais complexo. Fatores como os aromas, disposição, experimentação, música, oxigenação e o preço, induzem o consumidor. Por exemplo, na cabeça de um consumidor o valor de 1,99 € e de 2,00 € são interpretados de forma completamente diferente, apesar de a diferença ser apenas de 0,01 €.

Nos jovens o consumismo advêm da necessidade de pertencer a grupos, a maioria não sabe definir-se e como tal recorre a bens materiais para provar algo à sociedade, para sentir que faz parte de alguma coisa. Tornam-se assim consumistas de uma forma desmedida. Se um tipo de marca ou algo está na moda e eles ainda não têm, existe uma vontade de obter, independentemente do gosto pessoal e da necessidade do mesmo.

O olhar para o que o outro tem, o querer ter, é algo que afeta a maioria dos jovens.

Uma pesquisa realizada pela organização das Nações Unidas para a UNESCO, revela que 70% dos jovens da América Latina interessam-se por compras, enquanto nos EUA,  percentual é de apena 33%.

Os jovens são assim acusados como “filhos do consumismo”, pois ter é mais importante do que ser.

Deixa um comentário