#irrealidadeirreal

Hoje em dia cada vez mais os indivíduos dependem das redes sociais para dar um sentido às suas vidas, basicamente precisam de uma conta num facebook ou num instagram para se sentirem integrados na sociedade.

O Facebook é a rede social mais utilizada em todo mundo e ultrapassa os mil milhões de utilizadores. Só em Portugal somos mais de quatro milhões.

Os países líderes são os Estados Unidos, Brasil e Índia.

Os números são ridículos. Sim, ridículos. Como é possível que o tempo médio global gasto no facebook seja de seis horas mensais?  Ora bem, um dia tem vinte e quatro horas, gastamos cinco a seis horas a dormir e ainda nos damos ao luxo de dispensar seis horas por mês numa rede social.

Todos os dias são feitos três biliões de likes e comentários.

E aqui chegamos ao ponto fulcral. Até que ponto uns quantos likes e uns comentários influenciam a nossa vida?

É inacreditável como o nosso ego aumenta conforme aumentam os likes.

Estive à conversa com duas alunas da Universidade Lusófona do Porto.

Fabiana Regadas, 21 anos, do curso de Direito, é utilizadora da rede social facebook, instagram e snapchat. Quando questionada sobre o tempo que dispõe por dia e o objetivo da sua utilização, Fabiana confessa que são “mais ou menos três horas por dia. O facebook para me actualizar, o instagram  pelos gostos e o snapchat para passar o tempo.”

Nádia Almeida, 21 anos, do curso de Gestão, utiliza o Facebook, Instagram e o Snapchat.

Utilizo mais à noite…nas aulas… (risos), acho que em média cinco horas por dia. O facebook para contactar os meus amigos, utilizo muitos os grupos para a faculdade, é mais fácil. O instagram e o snapchat para de certa forma expôr um pouco o meu dia.

Como Fabiana e Nádia existem milhares de utilizadores que utilizam as redes sociais para exporem o seu dia. Uma pergunta: qual o objectivo?

Existe uma dependência muito grande. Existe uma linha muito ténue que divide o real do irreal e existem muitas pessoas que se deixam confundir por isso. 

As redes sociais sempre interferiram muito na vida pessoal, mas com o aparecimento do facebook, do instagram, do snapchat e do twitter, faz com que a maioria das pessoas prefira uma vida virtual. No facebook o importante é ter quase cinco mil amigos, apesar de só considerarmos 15, ou até menos. No instagram faz-se uma sessão fotográfica de no mínimo vinte fotos até sair aquela que é “perfeita para postar”, e o snapchat, que é suposto ser o mais simples, até já vem com filtros para reduzir aquela palidez facial.

Vinte e quatro horas. Seis horas de sono. Cinco horas nas redes sociais. Não será demasiado tempo dispensado a viver ou a tentar viver uma vida que não é nossa? Tentar criar a vida perfeita hoje em dia virou prioridade. Aproveitar efetivamente o momento passou para segundo plano nos dias de hoje. 

Deixa um comentário