Johan Cruyff: morreu uma lenda

Era um virtuoso com a bola, um revolucionário do futebol e um homem de caráter rebelde.Numa lista em que estejam os cinco melhores jogadores da história do futebol, não é possível que o génio holandês , Johan Cruyff, que faleceu aos 68 anos vítima de um cancro no pulmão, fique de fora.

Podendo estar na luta com jogadores como Pelé ou Maradona para ser um dos melhores da história, Cruyff tem algo que o distingue destas duas outras lendas. Além de ter sido um jogador extraordinário, foi um grande treinador e tanto como jogador ou como treinador mostrou a sua personalidade e o seu temperamento.

Nasceu em Amesterdão a 25 de Abril de 1947. Foi o segundo filho de pais que trabalhavam numa banca que vendia verduras e legumes. A mãe trabalhava também no Ajax de Amesterdão, um dos maiores clubes holandeses, como empregada de limpeza e foi ela que convenceu os treinadores das camadas jovens a ver o seu filho jogar. Deste modo o estádio do Ajax tornou-se a sua segunda casa, principalmente depois da morte do pai quando ele tinha apenas 12 anos, vítima de um enfarte.

À medida que foi subindo no Ajax foi mostrando o seu talento e em 1964 com apenas 17 anos chegou à equipa principal, tendo ganho, em 1966, pela primeira vez o título de campeão.

Cruyff teve sempre uma personalidade rebelde e em 1973 quando o Ajax já tinha tudo acertado com o Real Madrid para a sua transferência, Johan Cruyff ficou bastante chateado por não o terem consultado e decidiu negociar com o grande rival do Real Madrid, o Barcelona. Deste modo, o Ajax não teve outra hipótese que não deixá-lo sair para o Barça.

Em 1974, com o mitíco número 14 que o caracterizou, Cruyff foi um dos grandes símbolos da seleção holandesa que revolucionou o futebol daquela época. Johan Cruyff continuou sempre com a rebeldia característica e batizou o filho com o nome de Jordi, durante a ditadura de Franco que tinha proibido batizar as crianças com nomes catalãs.

Em 1985 começou a carreira de treinador tendo iniciado nas camadas jovens do Ajax, mas impondo desde cedo, por todas as equipas que passava, um estilo muito característico de jogo, o que fez com que chegasse a treinador da equipa principal.

Mais tarde, Cruyff foi treinar para o Barcelona impondo o mesmo estilo de jogo que lhe era reconhecido, fazendo com que a equipa espanhola ganhasse pela primeira vez a Copa da Europa, atual Liga dos Campeões, em 1992.

Apesar da sua morte, o seu legado fica presente no mundo do futebol, no Barcelona que é considerada hoje em dia uma das melhores equipas do mundo graças à semente que ele plantou.

Deixa um comentário