Método deRose: exercitar corpo e mente

No Porto existe uma escola pouco comum. Chama-se Método deRose e o objetivo é ensinar a pessoa a conhecer o corpo e a mente criando uma boa qualidade de vida. Os alunos põe em prática as técnicas no seu dia-a-dia, tentando tornarem-se seres humanos melhores.


O estereótipo está criado: para a maioria das pessoas, yoga consiste em sentar no chão, cruzar as pernas e meditar. Mas o processo requer muito mais que isso e é crucial para o corpo e para a mente.

Confundida diversas vezes como Academia de Yoga, o Método deRose optou por se transformar nesta escola, desde 2007, como forma de distinção. “É uma proposta de estilo de vida”, refere o diretor, Eduardo Cirilo. O principal objetivo é o autoconhecimento – trabalhar cada individuo, para que todos os dias exista uma evolução enquanto pessoa.

Este é um trabalho que se inicia em aula, através de técnicas  como flexibilidade, força muscular e consciência corporal. Depois, estende-se para o quotidiano através do “reflexo da prática”. Isto consiste nas boas relações humanas, boas maneiras e civilidade.

Segundo Eduardo Cirilo, a escola tem um propósito: “qualidade de vida e alta performance. Quando falamos em alta performance, falamos  da prática aplicada no dia-a-dia, como na forma de estar, procurar relações humanas melhores, evitar qualquer tipo de conflito, procurar produzir mais, entre outras”.

O primeiro momento na aula é “aprender a respirar”: controlar a respiração em três passos, o que permite uma respiração mais controlada, contribuindo para o fim da ansiedade. O segundo momento foca-se em vários exercícios de flexibilidade, que permitem ao praticante conhecer o seu corpo. A aula conclui-se com um momento de relaxamento. Deitados no chão, e levando a imaginação para onde se fica mais confortável e calmo.

As aulas decorrem nos horários mais variados, desde as 7h00 até as 21h00 e têm a duração de uma hora. As turmas são divididas por níveis, começando pelos principiantes até aos mais avançados.

Há quem procure esta prática como um desporto apenas durante alguns meses. Esta não é a melhor opção pois o trabalho realizado é demorado e requer alguma disponibilidade, seja emocional, física ou financeira. Mas é fundamental a pessoa que a procura identificar-se com este estilo de vida, desde fazer exercício, uma boa alimentação e pensar numa prevenção a longo prazo.

Deixa um comentário