Dia da mãe

É incrível como os jovens dão valor hoje em dia ao Dia da Mãe. Não sei se o motivo é expôr a melhor fotografia, o melhor presente oferecido ou o melhor restaurante.

Antigamente celebrava-se no dia 8 de Dezembro, no entanto em homenagem à Virgem Maria, passou a ser no primeiro domingo do mês de Maio.

Em teoria esta data é uma homenagem a todas as mães e serve para reforçar e demonstrar o amor dos filhos pelas suas mães. No entanto, com o passar do tempo começou a ser algo um pouco materialista e mais uma desculpa para o consumismo desmedido dos jovens.

Entrevistamos uma jovem, Andreia Gomes, de 24 anos e a sua mãe, Carla Carvalho de 47.

Para mim o dia da mãe não é só este, mas sim todos os dias. Está certo, é só neste dia que oferecemos prendas e publicamos fotos e somos queridos com elas, mas a verdade é que sou contra isto.

A minha mãe é a melhor do mundo e eu deveria dar-lhe miminhos todos os dias. Acima de tudo deveria fazer com que se sentisse a Melhor Mãe do Mundo todos os dias… Mas pronto, tenho esta opinião, e faço o contrário… sei que muitos também a compartilham e que no entanto caem no mesmo erro que eu. Mas pronto, sei que ela sabe que a amo muito.

Andreia Gomes

Depois de ouvir o que a minha filha disse confesso que estou babada. Para nós mães este dia é importante, mas não o mais importante. Serve apenas para celebrarmos algo todas ao mesmo tempo por assim dizer. Dou mais valor quando a minha filha troca uma ida ao café com os amigos para me fazer companhia a ver televisão por exemplo (risos). Mas eu sei que isto se passa não só com a Andreia, mas sim com todos os jovens… é normal. Só vão dar falta quando nós não estivermos cá. Mas pronto, admito que sabe bem toda aquela atenção para mim, até por parte do meu marido, sinceramente acho que até o cão cá de casa percebe quando é Dia da Mãe (risos).

Carla Carvalho

E porque todos os dias são delas, uma aluna da Universidade Lusófona do Porto, Inês Santos, realizou um vídeo onde homenageia  “A Melhor do Mundo”.

O vídeo foi completamente inspirado na minha mãe, mas escrito a pensar em todas as pessoas que tem o papel materno na vida de alguém. A palavra “Mãe” encontra-se entre aspas porque pode ser uma figura diferente para cada um de nós, nao precisa de ser necessariamente uma figura feminina , não precisa de ser a “mãe” biológica , pode ser qualquer pessoa super importante para nós (a mais importante). 

Inês Santos

Deixa um comentário