Da música à fotografia, o Porto tem uma embaixada

É na Praça Carlos Alberto, nº 121, que podemos encontrar o spot perfeito para quem procura um espaço alternativo para relaxar. A Embaixada do Porto – ou Lomo como carinhosamente lhe chamam os clientes habituais, em referência à lomografia – vence pela polivalência funcionando como loja e café. A montra chama logo a atenção de quem passa, exibindo não só uma coleção de máquinas fotográficas analógicas e instantâneas, como também vinis e gira-discos retro. Quem passa é desafiado a parar, e quem pára é desafiado a entrar.

Entrando é impossível não olhar à volta. A loja convida a comprar um bilhete para o passado, deliciando os amantes do clássico. No que diz respeito à fotografia, estão disponíveis para venda máquinas fotográficas da marca Lomo, Fuji e Polaroid, e os respetivos rolos. Em relação à música, é possível adquirir gira-discos Crosley e GPO, além de vários discos. Há também rádios, telefones e colunas vintage.

Subindo ao 1º andar, por uns degraus estreitos, encontramos o café/bar. Daniela Ramos, funcionária do estabelecimento, diz que “durante o dia [o espaço] funciona mais como loja e é de noite que se transforma em bar”. Todas as noites são diferentes, ganhando outra vez em polivalência, agradando a todos os gostos. No início da semana, podemos descontrair com Blues. Terça-feira samba-se, ao som de música brasileira. À quarta-feira o estilo é Lindy Hop, um estilo de dança que mistura o breakaway, o charleston e o sapateado. À quinta-feira todos os cocktails são a 3 euros. No início do fim-de-semana, o estilo é disco. Sábado, funk; e, ao domingo, para terminar em grande, jazz e bossa nova. A clientela é variada em idades e nacionalidades. “Aqui encontra-se gente de todo o lado, de pessoas mais novas a mais velhas”, diz Daniela.

Joana Rodrigues, cliente habitual da Lomo, afirma que é “paragem obrigatória quando estamos com um grupo de amigos”. Para ela, “a singularidade é tudo basicamente” – desde os quadros, à música, à mesa de matrecos, ao cisne atrás da mesa do disc jockey, ao grande espelho que preenche a parede, passando pelos televisores antigos, às máquinas fotográficas, às guitarras sem cordas, entre tanto mais”.

Sílvia Gaspar, também presença habitual, nota que o Embaixada se destaca “pelo convívio que se cria entre grupos que se sentem à vontade para falar sobre tudo – consome-se uma bebida, fuma-se um cigarro e ouvem-se músicas do tempo dos nossos pais e avós”. Questiona sobre o que há para não gostar, enumerando tudo que a apaixona. “O espelho do tamanho de um estúdio de dança”, a vista para as “pessoas que passeiam e o azulejo português [da Igreja do Carmo] ao fundo”, “os diferentes candeeiros aos avisos escritos à mão, os vinis ordenados, os diferentes quadros e fotografias espalhadas, as ventoinhas paradas e o barulho da mesa de matrecos”. Declara ainda que a Lomo é o sítio perfeito para “estar na boa e também para fazer trabalhos de grupo, ao som de Janis Joplin ou Elvis, um local composto por diversas culturas”.

Quer de visita à loja, quer para um café, uma cerveja artesanal, ou até para as especialidades da casa como as panquecas e os cocktails, fica o convite para entrar nas palavras de quem atende, com um sorriso, “venha conhecer, boa música e bom ambiente é o que encontrará”.

 

Informações Úteis:

Praça Carlos Alberto, nº121
4050-034 Porto, Portugal
T +351 223 221 762
T +351 912 133 034

E-mail: info@embaixadaporto.com

Horário de funcionamento da loja
Segunda a Sexta: 12h – 20h
Sábado: 11h – 20h
Domingo: 21h – 00h

Horário de funcionamento do bar
Segunda a Sábado: 12:30h – 2h
Domingo: 21h – 2h

Deixa um comentário