#i_am_not_whale*

Numa altura em que já se falou de tudo um pouco sobre o Desafio Baleia Azul, emerge a necessidade de resumir toda a informação. O jogo que já vitimou pelo menos oito pessoas em Portugal surgiu na Rússia e até agora a culpa recai sobre Filipp Budeykin. Suspeita-se que o jovem de 21 anos e de nacionalidade russa seja o mentor deste fenómeno. Detido a 15 de novembro de 2016, encontra-se a aguardar julgamento num hospital psiquiátrico de São Petersburgo já que sofre de bipolaridade.

O termo “baleia azul” é associado ao próprio animal que encalha propositadamente nas praias pensado que por tendências suicidas, mas na verdade por falhas no sistema de ecolocalização causado pela poluição dos mares ou pelos ruídos das hélices dos barcos. O jogo é praticado no Facebook, na rede social russa VKontakte, e em grupos de conversas fechadas. Os jogadores são desafiados a realizar uma série de tarefas durante 50 dias, uma por dia, por curadores a quem terão de provar a realização das mesmas. Essas tarefas atribuídas consistem em atos de violência física ou psicológica. Por exemplo, assistir a filmes de terror às 4:20; escrever “#i_am_whale”, nas redes sociais acima indicadas, que significa “eu sou uma baleia” como forma de juramento e de conexão com outros jogadores; subir a telhados e pontes; praticar diferentes formas de automutilação em várias partes do corpo; e, no 50º dia, a derradeira prova, que é o culminar de todo o desafio: o suicídio. Todos aqueles que começam o jogo e que procuram desistir sofrem ameaças para que não o façam.

Num momento de propagação do desafio da Baleia Azul, eis que surge a Baleia Rosa para travar esta iniciativa. Criado por um grupo de publicitários brasileiros, em abril deste ano, o movimento pretende promover o bem e desafiar os adolescentes a praticarem boas ações. Conversar com alguém que não se fala há muito tempo, fazer uma pessoa feliz, ligar aos avós, pedir desculpas ou perdoar alguém e ajudar quem sofra de bullying são algumas das tarefas deste desafio. Para além de incentivar as boas ações para com o próximo, a Baleia Rosa incita os jovens a aumentarem a autoestima, olhando-se ao espelho e agradecendo tudo o que têm na vida. A Baleia Rosa incentiva ainda os jovens a falarem dos seus problemas, disponibilizando ajuda psicológica para os casos mais sérios.

Numa mistura de cores, eis que surgiu a Baleia Verde que tem como principal objetivo educar os mais jovens. Este desafio contém objetivos como chegar a horas à escola e a casa, fazer a cama, ler um livro por mês e conseguir boas notas. Neste há também grandes sanções para o não cumprimento das tarefas, como ficarem sem telemóvel ou sem wi-fi em casa. Na mesma linha de pensamento, surgiu o Preguiça Azul com 50 desafios para os adolescentes, alguns bem difíceis carregados de humor – “mandar mensagens sem erros de português; passar um dia sem irritar os pais; não beber porque se você já é idiota sóbrio, imagina bêbedo; passar um dia sem dizer a palavra “top”; assistir a um documentário sobre a fome em África para você saber que não é o maior sofredor do mundo” e, por último, “não se matar, seu imbecil”.

Se estás a ler isto e estás deprimido, não sejas baleia azul, sê baleia rosa, sê baleia verde, sê preguiça azul, sê da cor que quiseres. Mas não sejas baleia azul. Procura ajuda, fala com os teus pais, com os teus amigos. Tu és importante para alguém. A vida não é só maus momentos, todos temos fases menos positivas e superá-las significa crescer. Se preferires falar com alguém estranho, tens também linhas de apoio como o Conversa Amiga – Apoio Psicológico e Emocional e em caso de aliciado a jogar o Baleia Azul, contacta a linha Internet Segura. Tu não estás sozinho. 

 

Contactos:

  • Conversa Amiga – Apoio Psicológico e Emocional
    Tlf.: 808 237 327 ou 210 027 159, todos os dias das 15:00 às 22:00;
  • Internet Segura
    Tlf.: 800 21 90 90, todos os dias das 09:30 às 17:30
    E-mail: linhainternetsegura@internetsegura.pt
  • Linha Jovem
    Tlf: 800 208 020, todos os dias das 9:00 às 18:00
  • Telefone da Amizade – apoio em situações de crise pessoal e suicídio
    Tlf:  228 323 535, todos os dias das 16:00 às 23:00

 

*eu não sou uma baleia

Deixa um comentário