#5 Respostas…num só Smash

“Representar Portugal no Mundial é uma sensação única”

João Bastos durante o WPT.

Corria o ano de 2008 quando começou a praticar Padel. Oito anos volvidos, João Bastos é uma das principais figuras da modalidade em Portugal. O atual número quatro do ranking nacional representa a equipa do Top-Padel e conta já com um título de Campeão Nacional de Clubes. No entanto, o ponto mais alto da carreira aconteceu em 2016. Disputando o World Padel Tour (WPT) Lisboa Challenger, a dupla João Bastos e Diogo Rocha atingiram um inédito nono lugar para Portugal. Nos oitavos-de-final, acabaram por cair para a dupla Jaime Bergareche – Martin Pineiro, do país de nuestros hermanos, maior potência mundial da modalidade.

A dupla João Bastos (de vermelho) e Diogo Rocha (de verde) a disputarem o WPT.

 

“Tivemos algum azar no sorteio. Calhamos no grupo “da morte” com Espanha e Brasil. Acabamos por conseguir o apuramento e atingir o nono lugar”, refere João, adiantando que “podemos chegar ao quarto lugar no próximo WPT”.

Além de mais algumas vitórias em Torneios do Circuito Nacional, juntamente com três Vice-Campeonatos Nacionais de Clubes, Bastos ocupa o 143º lugar no ranking WPT, com 66 pontos.

 

Infomedia – O que te levou a escolher o Padel?

João Bastos – O Padel surgiu há 8 anos. Nessa altura tinha deixado o Ténis, apenas dava umas aulas. Recebi um convite do Diogo Rocha e fui experimentar. Por ter algumas semelhanças ao Ténis, fiquei logo viciado e comecei a jogar.

Info – Quais os principais objetivos para o futuro da tua carreira?

JB – Nesta altura estou mais focado no Circuito Nacional. Sou o número 4 nacional e este ano tenho como objetivo ser Campeão nacional. Ser Vice-Campeão Europeu, ou melhor, por Portugal também está nos planos.

Info – Qual o ponto que mais te marcou?

JB – O match-point contra o Raul Marcos e Raul Diaz (dupla 20 do mundo), em 2016, que nos deu o apuramento para os oitavos-de-final do WPT Challenger Lisboa. Foi um momento histórico porque fomos a primeira dupla portuguesa a qualificar-se para uma fase tão adiantada de uma prova do Circuito Mundial.

Info – Como jogador, há algum torneio que tenhas o sonho de disputar?

JB – Existem sempre alguns torneios importantes ao longo do ano. Para mim, representar Portugal num Mundial ou num Europeu é o que me diz mais.

Info – E após o Padel?

JB – Não me vejo a fazer outra coisa que não o Padel. Seja como Jogador, Treinador ou Gestor, o Padel vai estar sempre presente na minha vida.

Deixa um comentário