À descoberta do Porto com o Ruaria

O Ruaria está de volta para a 5ª edição e os estudantes de Jornalismo partilham connosco parte do percurso das investigações desenvolvidas. Este ano o projeto sai à rua no dia 9 de junho, sexta-feira. O tema é Arquitetura e Design da nobre cidade do Porto, fruto do trabalho dos estudantes de Ciências da Comunicação e de Comunicação Aplicada da Universidade Lusófona do Porto.

Arquitetura e Design: este é o binómio que inspira a quinta edição do Ruaria, um projeto desenvolvido pelos estudantes de Ciências da Comunicação (CC) e de Comunicação Aplicada (CA) da Universidade Lusófona do Porto (ULP) que une investigação jornalística e práticas de marketing e relações públicas.

O Ruaria nasceu em 2013 numa sala de aula do segundo ano de CC da ULP. O então professor de Comunicação e Assessoria, Sérgio Denicoli, lançou o desafio à turma: criar algo inovador onde fosse possível pôr em ação todos os conteúdos teóricos aprendidos. E, ao mesmo tempo, algo que levasse a conhecer aspetos inesperados duma cidade que nunca deixa de surpreender: o Porto.

Houve bastante trabalho e sucesso. Nos anos seguintes, o projeto continuou a ser desenvolvido com uma experiência alargada e aprofundada. O desafio passou a ser assumido pela Direção do curso e ao invés de serem desafiados os estudantes do 2º ano, passaram a ser os finalistas. Além disso, passou a envolver todas as áreas pedagógicas do curso, tornando-se, nos dois anos que se seguiram, uma celebração de um percurso académico para quem está a acabar a licenciatura, tanto no ramo de CA como no de Jornalismo.

Entretanto, os dois ramos separaram-se em diferentes licenciaturas – Ciências da Comunicação e Comunicação Aplicada, mas o Ruaria continuou, sempre de vento em popa, cada vez melhor, com novos desafios. Um evento generalista passou a ser um evento temático. Já foram abordados temas como o comércio tradicional e espaços de cultura na cidade.

Este ano, o tema é a Arquitetura e o Design da cidade.

Ao longo destes anos, os estudantes da Universidade Lusófona do Porto aprenderam a gerir a marca “RUARIA”, criada e desenvolvida por eles, a divulgar o evento junto dos públicos potenciais e a trabalhá-lo junto de eventuais patrocinadores e órgãos de comunicação social. As competências dos estudantes de Jornalismo dizem respeito à produção dos conteúdos que são apresentados ao público, ao longo de todo o trajeto, de forma rigorosa e objetiva,. A matéria é investigada e contada pelos mesmos, de forma factual, obedecendo às regras éticas, à independência e aos princípios de verificação jornalística.

Conheça a rota desta edição do Ruaria

Conheça um pouco mais sobre os trabalhos desenvolvidos

a história, os desafios e as curiosidades à volta da anatomia invisível da cidade do Porto pela voz dos seus autores

1#Maria Inês Moreira – O Elétrico e a Cidade

2# Rita Silva – Os misteriosos bustos em Santa Cantarina

3# Andreia Resende – O processo de gentrificação na Rua 31 de Janeiro

4#Sara Oliveira – A reinvenção do Passeio das Cardosas

5# Ana Martins – Hospital Dom Lopo de Almeida

6# Filipa Coelho – Paços do Concelho

7# Tiago Sá Pereira – Cinema Trindade

8# Fábio Sernadas – O campo do Olival

9# Gabriela Ferreira – Os jardins da baixa

10# Diogo Moreira – Centro Português de Fotografia e Camilo Castelo Branco

11# Esther Egea

Deixa um comentário