Os cuidados a ter com o meio ambiente

Quando falamos em meio ambiente temos de falar obrigatoriamente em poluição. Todos os cidadãos devem ter cuidados para preservar o meio ambiente e desta forma, preservar a sua saúde. As atitudes que são tomadas por cada um de nós têm repercussões, tanto “na saúde humana, nos outros seres vivos e nos ecossistemas”, esclarece Sara Gomes que estuda mestrado em engenharia do ambiente, na Faculdade de Ciências e Tecnologia, da Universidade Nova de Lisboa.

 

O que é a poluição?

De uma forma geral, podemos dizer que a poluição é “uma substância resultante das atividades do Homem” e que são “inserida num determinado sistema”. Esta atitude vai provocar “impactos negativos no equilíbrio desse sistema”. Quando se fala em sistemas, entende-se por “o ar, a água e o solo”. As substâncias, por sua vez, podem ser “diretas ou indiretas” e são mais conhecidas por “poluentes”. Estes podem ser “de natureza química, genética ou sob a forma de energia (radiação, calor e luz)”.

Quais são os tipos de poluição?

Existem muitos tipos de poluição, mas “os mais conhecidos em Portugal” são quatro: “poluição atmosférica, poluição hídrica, poluição do solo e poluição sonora”.

  • Poluição atmosférica: normalmente gases e partículas resultantes não só da combustão de combustíveis fósseis, como de outros processos, por exemplo, os fumos das fábricas;
  • Poluição hídrica: por parte de resíduos sólidos, como por exemplo plásticos, ou contaminação por substâncias como lixiviados de pesticidas/fertilizantes ou presentes nas águas residuais;
  • Poluição do Solo: pode resultar da deposição de resíduos sólidos no solo, sem estarem devidamente acondicionados ou de origem das atividades agrícolas. Em ambos há lixiviação e infiltração de substâncias no solo;
  • Poluição Sonora: traduz-se em ruído, com maior ou menor amplitude, constantes ou pontuais, que provocam desde irritabilidade, até à surdez nos seres humanos. Por outro lado, também afetam os comportamentos de outros seres vivos.

A poluição tem vindo a aumentar?

É notório que a poluição tem vindo aumentar, porque “grande parte das atividades do Homem tem impactos negativos”. De forma mais concreta, podemos dizer que “estamos sempre a poluir, desde o facto de atirar um papel para o chão, ou ir ao supermercado comprar um determinado produto, que tem diversas emissões e subprodutos associados à sua produção”.

No entanto, há mais “conhecimento sobre os impactos” das “nossas atividades no meio ambiente” e isso ajuda a desenvolver estudos e “estratégias para minimizar o impacto” das nossas atitudes “nos diversos sistemas”. Assim, pode-se começar a travar o aumento da poluição. Mas há um fator que pode não facilitar este trabalho que é o “desenvolvimento económico do país”.

O que podemos fazer para reduzir a poluição?

“Cada indivíduo pode reduzir o seu impacto” no meio ambiente, mas para isso, tem de começar a “diminuir a sua pegada ecológica”. Segundo a Quercus, a pegada ecológica “foi criada para nos ajudar a perceber a quantidade de recursos naturais que utilizamos para suportar o nosso estilo de vida, onde se inclui a cidade e a casa onde moramos, os móveis que temos, as roupas que usamos, o transporte que utilizamos, o que comemos, o que fazemos nas horas de lazer, os produtos que compramos, entre outros”. CONSULTAR

O cidadão ao perceber a “consciência do impacto das suas atividades e dos produtos que consome”, vai refletir e começar a corrigir pequenos erros e desta forma, “reduzir a poluição no planeta Terra”, afirma Sara Gomes.

Alguns dos conselhos e medidas que qualquer indivíduo pode fazer no seu dia-a-dia e que podem ajudar a diminuir a poluição são:

  • Separação do lixo: se em nossas casas fizermos a reciclagem, ou seja, papel, plástico, vidro, pilhas, óleos e medicamentos, do lixo orgânico acabamos por promover a valorização destes resíduos e o tratamento necessário destes, de forma a reduzir não só a quantidade que terá de ser depositada em aterro, como ainda a reutilização destes componentes;
  • Evitar depositar outros resíduos “higiénicos”, plásticos, óleos, entre outros, nos lavatórios ou nas sanitas. Isso facilita o tratamento ao nível das águas residuais, evitando a contaminação das águas;
  • Evitar fazer queimadas ou a utilização de lareiras, devido a emissão de partículas para a atmosfera. Assim, deve-se optar por outros dispositivos de aquecimento mais eficientes, ou melhorar a eficiência energética da sua habitação, desde evitar perdas de calor ou aproveitar a luz natural;
  • Evitar os transportes privados e escolher transportes públicos. Esta atitude vai ajudar a reduzir as emissões atmosféricas;
  • Evitar deitar qualquer tipo de lixo para o chão.

Além destas sugestões que são simples e que podem mudar o meio ambiente, os cidadãos também podem estar mais atentos às medidas indiretas. Tomemos como exemplo:

  • Ter conhecimento do ciclo de vida dos produtos, para eleger os que têm menos impactos. Uma pessoa deve preferir um produto hortícola que não seja produzido num regime de agricultura intensiva, porque este regime implica a utilização de fertilizantes e pesticidas para a manutenção das culturas, o que vai implicar a contaminação dos solos, e optar por produtos nacionais e da época.

Que cuidados devemos ter em prol do nosso bem-estar?

Como já foi referido anteriormente todos “nós somos diariamente expostos a todo tipo de poluição de forma constante ou pontual” e a forma de combater isso passa por “pequenas atitudes, que fazem toda a diferença”. Para estarmos mais atentos, Sara Gomes aponta algumas das atividades que afetam a nossa saúde durante o dia.

  • Exposição às emissões de poluentes provenientes dos veículos, mesmo não estando junto à fonte. Esta exposição pode ser minimizada, evitando caminhar junto de vias com tráfego rodoviário elevado, principalmente em dias mais quentes e sem vento;
  • A poluição acústica também nos afeta diariamente. No caso de se habitar ou trabalhar em zonas ruidosas, por exemplo junto a estradas, linhas de comboio, aeroportos ou outras fontes de ruído, deve se investir na insonorização dos edifícios de forma a minimizar o ruído. Ou quando se trabalha com equipamentos ruidosos, usar sempre as proteções auditivas;
  • Quando há um acidente numa fábrica onde há libertação de alguma matéria poluente, como por exemplo o enxofre, que provoca uma nuvem tóxica e que as pessoas devem evitar o contacto direto, fechar as casas e usar proteções até a situação estar controlada;
  • Quando há uma doença contagiosa ou perigosa, como o caso da legionella, as pessoas devem evitar qualquer inalação de gotículas de água da rede de abastecimento, ou seja, evitar o contacto com a água, se for provado que a doença pode ser propagada através desse meio.

 

Informações úteis:

Deixa um comentário