Festas em honra do São Pedro da Afurada

Hastearam as bandeiras junto ao Santo padroeiro dos pescadores, onde em tempos foi uma Igreja, destruída pelas enchentes do Douro. Assim estão oficialmente abertas as festas do São Pedro da Afurada, numa das romarias que mobiliza cada vez mais pessoas, ano após ano .

Este ano, os festejos já deram inicio e terminam no próximo dia 3 de julho. Numa terra ligada à tradição piscatória, é habitual assistirmos, sobre o som das sirenes e morteiros, os barcos dos pescadores serem benzidos. Uma tradição que emociona as gentes da localidade e todos aqueles que a visitam, assim como a procissão dos andores, onde os santos em tamanho grande são carregados pelos populares, trajados com as vestes ligadas à pesca.

Como é habitual todos os anos, a comissão de festas da localidade disponibiliza na sua página de facebook e nas ruas de proximidade, o cartaz com os artistas e actividades que animam os dias e as noites. Na Vila piscatória, a tradicional sardinha não falta, uma das especialidades, acompanhada por pimentos e broa de Avintes. Até mesmo aqueles que não tencionam parar para almoçar os jantar, não resistem ao cheirinho da sardinha assada na brasa que vem das barraquinhas, restaurantes ou das casas de quem ali vive, que tradicionalmente coloca as mesas cá fora e convive com as suas famílias, vizinhos e visitantes que pelas ruas passam. Como uma verdadeira feira popular, os visitantes podem desfrutar dos carrosséis, das barracas de doces e farturas, algodão doce, das tendas de venda de produtos e acessórios.

Na Afurada, o São Pedro é festejado de forma semelhante ao São João na baixa Portuense. Milhares de pessoas se juntam para ver o fogo no último dia, considerado o dia da maior enchente, sendo a cascata de fogo que cobre e ilumina a ponte da Arrábida é uma das principais atrações da noite. O ano passado estima-se que a festa tenha atingido meio milhão de visitantes: um recorde.

Deixa um comentário