Andrea Pirlo termina a carreira e agradece ao mundo do futebol

Os relvados perdem perfume. Pirlo, um dos românticos que maravilhava os adeptos, com uma bola no pés, anunciou na conta do Twitter, no dia 6 de Novembro, que a viagem como jogador chegara ao fim.
A bola chora, já que não voltará a ser escravizada por um dos que a tratava melhor.

Andrea Pirlo, de 38 anos, termina a sua carreira como jogador depois de 22 anos como profissional.
O jogador formado no Brescia, que contou com passagens pelos três maiores clubes de Itália – Internazionale, A.C Milan e Juventus – e que nas últimas duas épocas embarcou, nos E.U.A, ao serviço dos New York City, anunciou na sua página do Twitter que tinha feito o seu último jogo na MLS e, porventura, o último da carreira.
O italiano conquistou imensos fãs e admiradores ao longo da seu percurso no futebol, com um estilo único no trato da bola e uma tranquilidade paranormal nas batalhas intensas que travou dentro de campo.

“Quando vi Pirlo jogar perguntei-me se tinha de mudar de profissão”  
Gennaro Gattuso, colega de profissão de Pirlo durante vários anos, no Milan e na ”Squadra Azzurra”, seleção Italiana.

O “arquiteto”, ou “maestro” (alcunhas que, justamente, sempre o acompanharam) deu os primeiros passos a jogar na posição de ”10”, mas  por mão de Carlo Ancelotti, conceituado treinador, recuou para médio defensivo nos tempos do Brescia e foi nessa mesma posição que marcou uma era.
Nesta posição, normalmente caracterizada como combativa, de imenso esforço e solidariedade de modo a compensar a equipa; Pirlo deu-lhe um toque perfumado e quebrou vários estereótipos, mostrando ao mundo do futebol toda a essência da sua beleza no jogo, sem precisar de ser rude e ”bater em tudo e todos” dentro de campo.

Andrea Pirlo conta com um palmarés invejável na sua vitrina: campeão do Mundo em 2006 pela Itália;  2 Champions League ao serviço do A.C Milan; 6 campeonatos italianos repartidos pela sua estadia entre Juventus e A.C Milan;  são alguns dos títulos mais importantes da carreira do ”Maestro” que colecionou várias conquistas por onde passou.

Os relvados ficaram, certamente, mais pobres, porém o mundo do futebol nunca esquecerá Pirlo. Somos nós, aqueles que tivemos o privilégio de ver Pirlo jogar, que temos que lhe agradecer.

 

 

Deixa um comentário