“Fotografar é dar Vida”, um projeto além fronteiras

“Fotografar é dar Vida”, de Elisabete Monteiro e Daniel Meirinho, foi uma atividade de fotografia participativa, realizada em Julho de 2016 nas comunidades de Suzana e Varela (Guiné-Bissau), que culminou numa exposição fotográfica itinerante.

Ao longo de três semanas, um grupo de 28 mulheres guineenses de etnia felupe utilizou a fotografia, sendo o seu principal objetivo a redução das taxas de mortalidade materno-infantil e a capacitação das mulheres para a participação comunitária na gestão financeira dos serviços de saúde. É, também, uma forma de expressão e partilha das suas experiências, anseios e rotinas.

No âmbito do projecto “Anhacanau Adjanhau – a mulher líder na gestão comunitária dos serviços de saúde materno-infantil” da ONGD VIDA – financiado pelo Instituto Camões e pela Fundação Calouste Gulbenkian -, 28 mulheres guineenses puderam, através da fotografia, apresentar algumas das questões com que lidam diariamente: o que é ser mulher felupe? O que significa ser mãe? Como se transmitem as tradições culturais? São estas algumas das reflexões que surgem nos olhares destas fotógrafas.

Tudo teve início com uma campanha de recolha de câmaras fotográficas feita em Portugal e no Brasil. O material angariado foi levado para a Guiné Bissau e, em junho de 2016, um grupo de vinte e oito mulheres guineenses de etnia felupe, mães e líderes, utilizaram a fotografia como forma de expressão e partilha das suas experiências.

O grupo de mulheres guineenses selecionou as fotografias mais importantes e que as representam melhor: as 26 que originaram a exposição, entre 14 de Outubro e 2 de Novembro, na Galeria Geraldes da Silva. Está aberta ao público – com entrada livre – para quem a queira conhecer e explorar. Deve ainda referir-se que a exposição já passou pelo Centro Cultural de Bissau, pelo Festival Internacional de Fotografia de Paraty, no Brasil, e pelo Festival Todos em Lisboa.

Este é um projeto onde, apesar de se centrar na fotografia, também são divulgados conteúdos de som e vídeo, a conferir nas páginas da Bagabaga Studios ou no blog Fotografar É Dar Vida.

 

Deixa um comentário