Buraco Negro vs Sol

Buracos negros. O grande enigma do espaço. Apesar de quase parecerem mitos provenientes dos livros de grandes heróis, estes fenómenos parecem estar a crescer de forma exponensial.

Buracos negros podem tornar-se massas bilhões de vezes maiores que nosso Sol. A taxa de variação do crescimento destes fenómenos espaciais pode variar, mas especialistas australianos detectaram a existência de um buraco negro com o mais rápido crescimento no universo observável.

Este buraco negro supermassivo ganhou o nome de QSO SMSS J215728.21-360215.1, ou J2157-3602. O mesmo encontra-se a 12 bilhões de anos-luz de distância, fazendo com que a forma como o vemos não seja a forma como ele é hoje, mas, sim, como existia cerca de quatro bilhões de anos depois do Big Bang.

Observações mostram que o J2157-3602 é do tamanho de cerca de 20 bilhões de sóis e que está a crescer a uma taxa de 1% a cada milhão de anos. A cada dois dias, o buraco negro devora uma massa equivalente à do nosso Sol, devorando poeira, gás, pedaços de destroços celestes através de uma poderosa influência gravitacional. Para além disso, o influxo de gases está a produzir bastante atrito e calor, resultando na intensa luminosidade.


A descoberta do J2157-3602 foi assistida pelo Data Release 2, da Gaia Collaboration, e os astrónomos observaram de forma profunda o buraco negro  através do Observatório Siding Spring. O satélite Gaia ajudou a confirmar sua localização remota no cosmos e seu status como um QSO.

 

Como nasceram estes fenómenos espaciais?

Buracos negros supermassivos surgiram a partir de 800 milhões de anos depois do Big Bang, mas não se sabe como eles crescer de forma tão rápida. A partir de agora, os cientistas esperam encontrar buracos negros que superem em tamanho o J2157-3602. O trabalho desenvolvido nesta área poderá ser uma fonte de conhecimento sobre o início do universo, como os elementos eram formados – especialmente metais – e como esses buracos negros primitivos podem ter gases ionizados.

 

Deixa um comentário