Zizou: O homem destinado a vencer

 

Zinedine Zidane, ou como o mundo do futebol o batizou, Zizou, sagrou-se na última semana tri campeão europeu em outros tantos anos ao serviço da equipa do Real Madrid.

Zidane, que já tinha o seu nome guardado na história do desporto rei como um dos melhores futebolistas de sempre no que à modalidade diz respeito, vê agora a sua figura associada à elite dos treinadores mais bem sucedidos que o mundo já viu.

Desde cedo se começou a perceber que Zizou tinha um talento especial e uma aura de vencedor fora do comum. Enquanto jogador, entre 1998 e 2000, o astro francês liderou a seleção gaulesa à conquista do mundial de 1998, que se realizou em França, e logo de seguida, em solo Belga e Holandês, o jogador haveria de ser mais uma vez decisivo para juntar o título Europeu ao título Mundial, uma proeza que só a Espanha anos mais tarde haveria de conseguir repetir.

A nível clubistico, Zizou também conseguiu grandes feitos. Talvez o momento mais importante da carreira enquanto jogador aconteceu na final da Liga dos Campeões da época 2001/2002 em que Zidade fez de um remate em volei um dos golos mais icónicos de sempre na história da competição.

Como se não bastasse todo o sucesso como jogador, Zizou queria mais. Queria poder atingir o mesmo patamar enquanto treinador. E assim foi.

Começou como adjunto de Carlo Ancelotti e ajudou o técnico a conquistar a décima Liga dos Campeões para o clube, feito que o emblema Merengue perseguia à 12 anos, precisamente desde o tempo em que Zizou a venceu como jogador.

Mais tarde e na sequência do despedimento de Rafael Benitez, Zidade haveria de suceder ao treinador espanhol no comando técnico do Real Madrid.

Na mesma época em que pegou na equipa, Zizou conseguiu levar a equipa a mais uma final europeia frente ao Atlético de Madrid, mesmo adversário da décima conquista. Depois de um empate a 1 golo, o Real venceu a décima primeira taça nas grandes penalidades. Nesse ano Zidane tornou-se o primeiro treinador na história a conseguir vencer a competição enquanto jogador, treinador adjunto e treinador principal.

No ano seguinte, a história haveria de se repetir. O Real Madrid chegaria uma vez mais à final, desta vez frente à Juventus, e mais uma vez conseguiria trazer a “orelhuda” para a capital espanhola. Zidade ficaria assim conhecido como o primeiro treinador a levar uma equipa a vencer a Liga dos Campeões no formato atual por duas vez consecutivas.

Todavia, Zinedine Zidade não se ficou por aqui. O vencedor da temporada que agora chegou ao fim seria mais uma vez o mesmo, o Real Madrid. Desta feita a vítima foi o Liverpool.

Assim, e numa altura em que Zizou já fez saber que não será o treinador dos Blancos na próxima época, o treinador ficará na história como o único que conseguiu vencer a competição 3 vezes seguidas.

Foi preciso pouco tempo para alcançar todos estes feitos, mas tempo suficiente para de facto se ter a certeza que a alma de vencedor de Zizou não se resume com a bola nos pés, mas também se vê ao leme de um banco de suplentes.

Deixa um comentário