Ruaria: Lusófona do Porto dá a (re)conhecer a Ribeira

A sexta edição do Ruaria, evento organizado pelos alunos de Comunicação, vai realizar-se no dia 8 de junho de 2018. O tema escolhido para este ano foi “A Ribeira: Porto Local, Porto Global” e delimita o percurso pedonal pela zona da Ribeira, entre as 9:30 e as 13:30. 

O objetivo do Ruaria é dar a conhecer as ruas da Ribeira e as histórias que escondem, de forma dinâmica, proporcionando a partilha de experiências e conhecimento entre visitantes e membros da organização. Ao longo do trajeto decorrerão atividades e iniciativas de animação, que darão a conhecer a Ribeira do Porto de forma detalhada e dinâmica.
Maria João Almeida, estudante de Comunicação Aplicada e membro da organização, não se mostra muito positiva, a 4 dias do evento: “Até agora somos mais membros da organização do que participantes”, confessa. Ainda assim, acredita que “este evento também serve não só para nós estudantes, mas também pessoas de fora, visitarem a cidade.”e que até “uma pessoa do Porto pode, através do Ruaria, visitar sítios da própria cidade que nunca teve a oportunidade de conhecer.” Para os turistas os benefícios são claros, segundo Maria João — “Os turistas podem visitar sítios sem pagar e conhecer muitas coisas históricas do Porto”, conta.
“O Ruaria serve para nos ajudar a perceber como é que se organiza um evento, como é que decorre todo o processo e as mais pequeninas coisas que muitas vezes as pessoas não se apercebem, mas que temos que tratar”, explica a estudante. Este acaba por ser o evento final da turma finalista de Comunicação Aplicada, e a rampa de lançamento para os estudantes do segundo ano.
Em paralelo, a turma finalista de Ciências da Comunicação, com especialização em jornalismo, prepara uma reportagem para a unidade curricular Jornalismo de Investigação, cujo tema tem como ponto de partida a localização do Ruaria. Maria João Silva, finalista de CC e futura jornalista diz que este é o primeiro momento em que os estudantes têm contacto com o que é realmente investigação. “Nós estudamos no Porto e muitas vezes a cidade e que se passa nela tornam-se coisas comuns. Neste caso esta investigação ajudou-me a aprender a olhar para as coisas de uma forma mais profunda, até mesmo para aquelas que no quotidiano nos passam despercebidas”, explica ao #Infomedia. O tema da sua reportagem tem que ver com o impacto do turismo no Porto, com especial enfoque na Ribeira e nos Guindais. Resultou de uma conversa com a mãe, que lhe disse que “o Porto está muito diferente” e a fez perceber que “o turismo é importante para o crescimento do Porto, mas as ruas estão cada vez mais vazias e a perder as pessoas mais importantes para a cidade, as que lá vivem.”.
A Ribeira é uma das zonas que mais se tem associado à gentrificação, na cidade do Porto. A escolha deste ano foi feita para fugir à regra, uma vez que as edições anteriores se tinham cingindo à baixa, e com o intuito de tentar mostrar o que permanece de tradição e o que veio com o crescimento do turismo.
As inscrições são limitadas e gratuitas, e deverão ser feitas para o endereço de e-mail ruaria@ulp.pt. O ponto de encontro é a Universidade Lusófona do Porto, a partir das 9, para fazer o check-in.

Deixa um comentário