Tecnologia e educação: adversárias ou aliadas?

Atualmente a tecnologia está presente em tudo à nossa volta. A relação que as novas tecnologias têm com a educação continua a preocupar, especialmente a sua aplicação no contexto escolar. O envolvimento dos pais na educação de seus filhos é de uma enorme relevância para o sucesso dos estudantes. Alguns pais temem a influência que esta pode exercer no desempenho do aluno, contudo pensam que é uma ferramenta importante.

No mundo da era digital, a mudança acontece a uma velocidade impressionante, o que exige uma maior adaptação ao comportamento da própria sociedade. Quem nasce nesta geração tem uma facilidade em trabalhar com a tecnologia.

Então estará a escola preparada para quem nasce na era digital?

Na perspetiva do docente Manuel Sousa:

Sim estão. Apesar da falta de investimento em recursos e ferramentas, em muitas escolas de regiões demográficas mais desfavorecidas, a escola procura sempre providenciar o melhor possível nessa área.”

A tecnologia têm vindo a promover uma transformação digital e influenciar os processos de aprendizagem, por exemplo os cursos e formações on-line e mesmo os fóruns de discussão que trouxeram uma nova aprendizagem independente.

Quais são então os prós e contras da tecnologia no ensino?

Maria Ferreira, mãe de Pedro Nogueira aluno do quarto ano, considera que “de algum modo é bom para que ele aprenda sobre tudo incluindo com os computadores, mas que tem de haver um maior controlo por parte do professor.”

Pedro nogueira diz que “ Tem dois lados, o bom é que posso fazer pesquisas, mas por outro lado, pode haver distrações, o professor ensina melhor sem o computador, porque este diz tudo e o professor põe-nos a pensar”.

Apesar da diferencia de idades Bruna Almeida, que esta a concluir o secundário, concorda com Pedro Nogueira considerando uma ferramenta importante para fazer pesquisas sobre assuntos escolares. No entanto, reforça que existe uma tentação em aceder por exemplo às redes sociais.

José Cunha tem dois filhos a estudar e na sua opinião “ a tecnologia na educação é sempre uma mais-valia. O problema é o uso desapropriado dessa tecnologia. Não usam a tecnologia para adquirir novos conhecimentos nem novas experiências, mas sim para coisas fúteis, redes sociais e coisas não pedagógicas.”

O professor Manuel Sousa responde que “ A tecnologia está presente em tudo na nossa vida e tem como princípio a constante melhoria das ferramentas/equipamentos que diariamente usamos. Nas escolas um dos principais objetivos, depois da escola para todos, é a qualidade do ensino. Logo, quanto melhores as ferramentas e os recursos que estas dispõem, melhores serão os resultados.”

A tecnologia progride logo as mudanças são feitas a nível de ensino para acompanhar toda a evolução, até porque Portugal tem de estar a nível das exigências do mercado educativo.

O PISA (Programa Internacional de Avaliação dos Estudantes) indica que os alunos portugueses estão acima da média no uso da Internet em casa, porém abaixo da média no seu uso na escola embora Portugal esteja entre 70 países com uma das percentagens mais altas de estudantes com acesso à Internet nos estabelecimentos de ensino.

O #infomedia entrevistou o professor Manuel Sousa para entender qual a sua opinião trabalhando direitamente com estudantes.

Considera a tecnologia e educação como adversárias ou aliadas na construção da escola do futuro?

“Aliadas. A evolução da tecnologia providência recursos cada vez melhores e mais facilitadores na tarefa de ensino. Quando bem usados, os resultados são melhores e a qualidade do ensino é assegurada.”

Como professor, acha que a tecnologia ajuda ou prejudica os alunos?

“Acho que ajuda. A tecnologia ajuda em tudo e facilita muito no nosso trabalho. Contudo, ainda há quem resista em dar o uso correto aos recursos e ferramentas que a tecnologia nos dá. Nessas situações, todos saem prejudicados, alunos e professores entre outros.”

Utilizar a tecnologia nas aulas aumenta o dinamismo da aula?

“Sim. A utilização de recursos tecnológicos nas aulas desperta o interesse dos alunos e a sua motivação para aprender. Ajuda muito a melhorar a comunicação entre os alunos e o professor, porque vêm equipamentos que associam apenas a atividades de lazer, serem utilizados pelo professor durante a aula.”

O uso da tecnologia na escola pode afetar o desempenho dos alunos?

“Não. Tal como disse atrás, depende do uso que lhes é dado. Na minha opinião o uso da tecnologia contribui muito para a qualidade do ensino. Atualmente poderá afetar, não o desempenho dos alunos, mas o cumprimento das metas curriculares, pois muitas destas não estão adaptadas as novas tecnologias.”

A atualização estimulada pela adoção da tecnologia trará benefícios para a relação do professor com os alunos e o funcionamento da própria escola. E assim ao verem o professor a utilizar podem ver de que maneira é utilizada.

A divergência entre as capacidades necessárias e as obtidas pelos estudantes, em parte resulta da falta de investimento considerável a nível dos equipamentos tecnológicos e infraestruturas, é este o desafio das escolas de hoje.

Como se define a escola do futuro?

“É uma pergunta difícil de responder. A escola tem experimentado muitas mudanças nos últimos tempos, ora por interesse desta, ora por conjuntura política, entre outras razões. Sinceramente, o futuro da escola dependerá sempre dos ideais da sociedade que a antevê.”

O ensino híbrido, é algo que já esta a ser implementado nas escolas, este concilia a educação tradicional (ensino presencial) e o uso da tecnologia (ensino on-line) para conquistar o ensino (aluno controla o seu estudo), também pode ajudar a adaptar a utilização de ferramentas digitais com a atenção em aulas presenciais. O ensino híbrido completo é aquele em que o aluno aprende de duas maneiras diferentes.

Este defende que não existe uma forma única de aprender e que a aprendizagem é um procedimento continuo.

 

Diana nogueira.

Editado por: Ana Luísa do Vale

 

Deixa um comentário