Holloway domina Ortega e retém título mundial

No passado sábado dia 8 de dezembro, Max Holloway e Brian Ortega foram os cabeças de cartaz do UFC 231. Holloway venceu por nocaute técnico por paragem da equipa médica, no final do quarto assalto. Max reteve, assim, o título mundial de peso-pena.

No sábado, o Scotiabank Arena, no Canadá, encheu para ver o combate entre Max Holloway e Brian Ortega pelo título mundial de peso-pena. Havia muita expectativa para este combate, pois já era a segunda vez que ele tinha sido marcado. Inicialmente esta luta estava marcada para o UFC 226, a 7 de julho, mas o campeão não foi declarado como estável para lutar por apresentar sintomas de concussão. Após uma longa recuperação os médicos possibilitaram o havaiano de competir e a luta ficou marcada para dezembro.

No combate o ambiente era eletrizante. Os fãs estavam ansiosos para ver estes dois em ação. Max fez um excelente primeiro assalto, dominou a luta em pé e conseguiu travar as projeções de Ortega. O segundo assalto foi semelhante ao primeiro: Ortega a sentir dificuldades na troca de golpes com Holloway e foi mais uma ronda que o americano perdeu para o campeão. Até então, a luta estava a favor de Holloway: combate em pé e não no chão, devido ao jiu-jitsu muito eficaz de Ortega. No terceiro assalto o desafiador esteve melhor. Conseguiu trocar mais golpes e acertar alguns socos no campeão. Apesar disto, no fim desta ronda vimos algo insólito: Max Holloway falou com o analista que estava fora da jaula a comentar o combate, Joe Rogan, e disse-lhe que era nesta ronda (quarta) que ele ia vencer o combate. O campeão começou a pressionar muito e a lesão no olho de Ortega agravou-se ainda mais com o acumular de pancadas. No fim do assalto Ortega dirigiu-se para o seu canto e foi observado pelo médico presente: nariz e polegar partidos, olho esquerdo quase a fechar devido ao inchaço, e não foi dada autorização pela equipa médica para continuar a luta. Holloway venceu assim por nocaute técnico e imediatamente saltou para fora da jaula com vista a falar com Joe Rogan novamente. Este disse-lhe que afinal de contas estava certo e que era o melhor peso-pena de sempre.

Foi um combate cheio de ação, mas a nível estatístico surpreendeu toda a gente. Holloway lançou 430 pancadas e 244 delas foram significativas, comparadas às 267 lançadas por Ortega em que 87 foram significativas. Para além disto, Ortega só conseguiu duas projeções em 11 tentativas. Algo surpreendente devido à elevada qualidade de Ortega no jogo de chão, o jiu-jitsu.

Na conferência pós-luta o presidente do UFC, Dana White, demonstrou as suas intenções em ver Holloway a lutar na categoria de peso acima: peso-leve. Explicou que isto se deve ao grave corte de peso que o havaiano tem de passar para pesar os 65kg na manhã antes do combate. White acrescentou que há lutas interessantes para Holloway no peso-leve: “Qualquer lutador do top 5 é uma luta interessante para ele. Gostava muito que ele subisse uma categoria, seria bom para a carreira dele.” – finalizou.

Ortega não está possibilitado de lutar durante seis meses por suspensão da equipa médica, devido às lesões contraídas no combate. Holloway está interessado em subir de peso e referiu que uma luta contra o campeão do peso-leve, Khabib Nurmagomedov, seria a luta certa para ele. Veremos o que o futuro traz ao campeão.

Deixa um comentário