Champions ao rubro- o projeto dos Spurs

O Ajax venceu, esta terça feira , o Tottenham em White Art Lane, por 1-0 e prolongou assim o conto de fadas , que começou na terceira pré-eliminatória da Uefa Champions League (UFC).

Muito do espaço mediático , tem dado especial relevância a este percurso da equipa holandesa, que é , diga-se ,desde já ,meritório. Mas do outro lado, está uma equipa que , a meu ver, fez algo não menos impressionante.  Para os mais desatentos, a direção dos Spurs conseguiu chegar a esta fase adiantada da competição sem investir qualquer cêntimo em jogadores. Não comprou, mas também não vendeu. Esta situação é , de facto, tudo aquilo que um treinador pode querer. Mauricio Pochettino manteve o núcleo duro do plantel, com quem trabalha já à vários anos , o que permitiu aos jogadores já estarem familiarizados com o modelo do técnico. O que ,à priori, pode parecer um contexto fácil não o é , ainda para mais num mercado de transferências, cada vez mais capitalista, e onde são praticados valores absurdos. Pela diferença , o Tottenham merece que lhe seja tirado o chapéu.

 

O projeto dos Spurs

Maurício Pochettino, atual técnico e antigo internacional argentino, chegou ao Tottenham após a contorbada época 2013/2014, que culminou com o despedimento de André Vilas Boas e Tim Sherwood. Desde a sua entrada na equipa londrina, o futebol dos Spurs mudou, indiscutivelmente , para melhor. Com um estilo de jogo virado para o ataque, mas nunca descurando o aspeto defensivo, o Tottenham sobre a liderança de Pochettino só por uma vez ,e na época de estreia, falhou a qualificação para a UFC.

Têm sido épocas fabulosas para o clube, que chegou em duas delas a lutar taco a taco pelo título até à reta final.

Embora seja mais falado agora, pela campanha estrondosa na maior prova de clubes do mundo, o Tottenham tem um  projeto bem consolidado e, para os seguidores assíduos da Premier League, esta prestação acaba por não ser tão surpreendente.

Falta só o primeiro título, pelos Spurs,  a Mauricio Pochettino para recompensar o bom futebol que tem praticado. E porque não a Champions League?

 

Análise do jogo

Num jogo muito aguardado, ou não fosse este uma meia-final da Uefa Champions League, a formação do Ajax entrou , nos primeiros 25-30 minutos , de forma avassaladora no encontro , causando inúmeras preocupações ao técnico Maurício Pochettino.

Com o futebol combinativo , que nos tem habituado , o Ajax viria inclusivamente a chegar ao golo ,à passagem do minuto 15, por intermédio de Donny Van beek após um passe do marroquino Ziyeck.

O Tottenham raramente conseguia progredir ,no meio campo contrário, com bola controlada dada a pressão forte dos jogadores da formação holandesa. A solução ,de recurso, passava por bater bola longa na frente para  Lorrente, que tinha a missão de a segurar e esperar pelos apoios. Saltava-se , assim , aquele momento de pressing do Ajax.

Ao minuto 32 , após um lance de bola parada o belga Vertonghen, na tentaviva de cabeçear a bola, embateu ,violentamente , com o nariz na cabeça do companheiro Alderweireld e teve de ser substituido.  Esta substituição, embora forçada, levou o tecnico argentino a abdicar da estratégia dos três centrais , que tinha trazido para o encontro, e a fazer entrar um médio operário, Moussa Sissoko.

Já redefinido o esquema tático, adotando agora um 4-3-3 em vez do 3-4-3 com que entrou no encontro, a formação londrina entrou melhor no segundo tempo.

Mais afirmativa e esclarecida com bola , a equipa dos Spurs embora sem criar grande mossa ao guarda-redes Onana, pôs várias vezes a defesa do Ajax em sentido através de inumeros cruzamentos. Por esta altura , e à medida que o tempo ia passando, a equipa do Ajax ia baixando o bloco e encurtando o espaço , o que também contribuiu para essa melhoria na circulação de bola do Tottenham.

Apesar deste crescimento dos londrinos, a melhor oportunidade da segunda-parte pertenceu ao brasileiro David Neres, que rematou ao poste,  após uma transiçao vertiginosa da equipa holandesa.

1-0 resultado final. O Ajax , segue com um golo de vantagem para o jogo na Amsterdam Arena, resultado que Mauricio Pochettino acredita estar em aberto.

 

 

Jogadores em destaque

 Moussa Sissoko ( Tottenham ) –  O médio centro francês entrou muito bem , num momento delicado da equipa. Dotou o meio campo dos londrinos de maior agressividade (no bom sentido) e consitência defensiva. Fez algumas boas arrancadas , ainda que não tenham tido o melhor seguimento.

 

De Ligt (Ajax)- O que dizer deste menino , que em Agosto fará 20 anos ? É simplesmente fenomenal  a concentração e a maturidade que tem. Impecável nas alturas e na capacidade de sair a jogar na primeira fase de construção. Um prodígio.

Deixa um comentário